sábado, 29 de julho de 2017

Três mitos sobre a cidade de João Pessoa que a maioria dos paraibanos acreditam


O turista que visita a capital paraibana, com certeza escutará alguém (provavelmente um guia) afirmando "João Pessoa é terceira capital mais antiga do Brasil!". Não só os guias falam isso: existe de fato uma crença muito forte entre a população local, de que tal afirmação é verídica. Aliás, até mesmo uma grande parte da imprensa local ajuda a difundir essa ideia, especialmente quando se aproximam as comemorações do aniversário da cidade.  

Não só é fácil escutar que João Pessoa é a terceira capital mais antiga de nosso país: sem dificuldade podemos ler ou escutar aqui ou acolá que "Jampa" é a terceira cidade (isso mesmo, a terceira cidade!) mais antiga do Brasil.  

Muito comum também, é escutarmos que João Pessoa é a segunda cidade mais verde do mundo, ficando atrás somente da capital francesa, Paris.

Pois bem.  Questionar e checar as informações e versões dos fatos não faz mal a ninguém. Sendo assim vejamos:

1. João Pessoa seria de fato a terceira capital mais antiga do Brasil?

Neste ano de 2017, comemora-se 432 anos de história da capital paraibana, fundada em 5 de agosto de 1585 pelos colonizadores portugueses, e,  batizada como "Cidade Real de Nossa Senhora das Neves".

Mas, entre as capitais dos estados brasileiros, algumas (não somente duas!) são mais antigas do que João Pessoa:  Recife foi fundada em 1537, Salvador em 1549 e Vitória em 1551. Ou seja, aqui já percebemos que a capital do Espirito Santo já ocupa o verdadeiro terceiro lugar. 

Mas não paramos por aí: 

São Paulo foi fundada em 1554 e o Rio de Janeiro em 1565. Ou seja, a capital da Paraíba na realidade fica no sexto lugar deste ranking.

2. João Pessoa seria a terceira cidade mais antiga do Brasil?

Se a capital paraibana não é sequer a terceira capital mais antiga do Brasil, como pode ser a terceira cidade mais antiga do país? 

Se levarmos em consideração não só as capitais, como também as cidades no geral, veremos que João Pessoa passa muito longe desta ideia tão difundida.

Muitas outras cidades continuamente habitadas foram fundadas entre 1500 e 1585, como é o caso de São Vicente (1532), as cidades pernambucanas de Igarassu e Olinda (1535), e as cidades Espírito-Santenses de Vila Velha (1535) e São Mateus (1544). 

3. João Pessoa seria de fato a segunda cidade mais verde do mundo?

Eis aí outro mito bastante difundido entre os paraibanos. De fato, em 1992, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (ECO-92), João Pessoa recebeu o título de "segunda cidade mais verde do mundo". Entretanto as coisas mudaram já faz algum tempo: Vários estudos e órgãos  especializados no assunto (ao exemplo do site Green571, da revista britânica The Economist e do Green City Index) apontam que entre as cidades mais verdes do mundo estão Vancouver (Canadá), Malmö (Suécia) e Reykjavik (Islândia). Entre as cidades brasileiras, o destaque fica para capital paranaense, Curitiba, que   possui cerca de 580 metros quadrados de espaços verdes para cada habitante. 


Profº Helton de Assis 
Graduado em História (UFPB) e Teologia (FAENOR)









segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

AFINAL, QUAIS FORAM OS MAIORES IMPÉRIOS DA HISTÓRIA (EM TERMO DE EXTENSÃO)?

Ao longo da nossa história muitos impérios tem se levantado conquistando territórios de grande extensão. Grandes líderes como Alexandre, César e Gêngis Khan expandiram seus reinados por distâncias espantosas e deixaram suas marcas entre os séculos.

A pergunta aqui feita raramente é respondida corretamente pelos estudiosos. Há uma grande confusão de respostas. A maioria respondem que foi o império Romano ou o Império Macedônico .


Vejamos abaixo quais foram de fato os impérios que atingiram maior extensão territorial durante seus auges:

5º lugar: Califado Omíada

Extensão territorial do Califado Omíada em seu auge

Em sua maior extensão, o Califado Omíada cobria 15 000 000 km², fazendo dele o maior império que o mundo tinha visto até então, e o quinto maior que já existiu. A sede do império se localizava na cidade de Damasco e possuía o Arábe como língua oficial. O islamismo também era a religião oficial do Califado Omíada.
Domo da Rocha, em Jerusalém. Um dos legados arquitetônicos dos Omíadas

Área durante seu ápice: 15.000.000 km²
Existência: 661750 d.C

4º Lugar: Império Espanhol

Domínios espanhóis nas Américas no inicio do século XIX


O Império Espanhol ao longo de sua existência conseguiu estabelecer colonias na Europa, Américas, Ásia, África e até mesmo na Oceania

Desenho representando o encontro dos espanhóis  com os líderes astecas 

Os espanhóis começaram as suas explorações pelo ocidente, com o achamento das Índias Ocidentais por Cristóvão Colombo, em 1492 e iniciaram imediatamente a colonização forçada do continente americano. Em meados do século XVI, a Espanha controlava quase toda a zona costeira das Américas, desde o Alasca à Patagônia, no ocidente, e desde o atual estado norte-americano da Geórgia, toda a América Central e o Caribe até a Argentina – com excepção do Brasil, pertencente a Portugal.

Àrea durante seu ápice: 19.400.000 km²
Existência: 14921898

3º Lugar: Império Russo

Império Russo em 1866


Pedro I, o primeiro imperador da Russia
O terceiro maior império da história foi o império Russo; em 1866, ele era tão grande que se estendia da Europa do Leste, percorria toda a Ásia e chegava à América do Norte: no início do século XIX passou a ser a maior nação do mundo. Nessa mesma época esse império atingiu a marca de 176,4 milhões de súditos do imperador russo, a maior população do mundo na época.  Esta população apresentava grandes disparidades econômicasétnicas e religiosas. Em 1913 a riqueza do império era calculada em 257,7 bilhões de dólares, e seu governo era uma das últimas monarquias absolutistas existentes na Europa. Até a Primeira Guerra Mundial, em1914, a Rússia costumava ser considerada uma das cinco chamadas "Grandes Potências" do continente europeu, com um exército de mais de 5 milhões de homens, o maior do mundo à época.

Área durante seu ápice: 23,7 milhões de KM²
Existência: 17211917

2º lugar: Império Mongol



O principal responsável pela explosão do Império Mongol foi o líder tribal Temudjin, que ficou conhecido como Genghis Khan. Este conquistador unificou muitas tribos ásiaticas que até então viviam em constante guerra.


Durante seu ápice, em 1279, sob o governo de Kublai Khan (neto de Genghis Khan), o Império Mongol se estendia desde o mar do Japão até a Europa Central.

Uma das principais fontes de informação sobre o Império Mongol é o famoso livro "Viagens de Marco Polo".

Área durante seu ápice: 33 milhões de KM²
Existência: 1206 – 1368





1º Lugar: Império Britânico 

Por incrivel que pareça, nenhum império conseguiu atingir uma dominação territorial tão extensa como a que os britânicos atingiram no inicio da década de 1920.  Nessa época  o dominio do Império Britânico atingiu mais de 450 milhões de pessoas, ou seja,  um quarto da população do mundo na época e abrangeu mais de 35 500 000 km2 quase 24% da área total da Terra.

Em todos os continentes a Grã-Bretanha possuía territórios e colonias. Entre as grandes nações que entre o século XIX e XX estavam submetidas aos ingleses podemos destacar: índia, Egito, Australia, Canadá, Nova Zelândia e Africa do Sul. Por seu tamanho e abrangência o referido império recebeu o apelido de "Império onde o sol jamais se põe". Alguns filmes retratam muito bem esse período de apogeu dos britânicos no inicio do século XX, como Lawrence da Arábia e Gandhi. 


Abaixo vemos um GIF da evolução do império Britânico ao longo dos séculos. 


Área durante seu ápice: 35,5 milhões de KM²
Existência: 1583-1997

segunda-feira, 4 de julho de 2016

CONSIDERAÇÕES APÓS PRESENCIAR O DISCURSO PANEGÍRICO DE UM ATEISTA-KAMIKASE-SUPRA-MINCHINIANO CUJO PROJETO DE VIDA É CRIAR UMA BOMBA ATÔMICA INTELECTUAL QUE EXTERMINARÁ DEFINITIVAMENTE A FÉ PRESENTE NOS MEMBROS DA CIVILIZAÇÃO HUMANA DO TERCEIRO MILÊNIO E PROMOVERÁ LIBERTAÇÃO E EVOLUÇÃO ANTROPO-BIO-PSICO-SOCIAL-ESPACIAL-FILOSOFAL PARA TODA SUA PROLE



Pelo jeito existe uma galera que ama um "ateismo modinha" e adora gastar tempo tirando sarro com a fé das outras pessoas. Se acham os atalaias da razão, e no fundo tem seus deuses... e decorar frases de Sthephen Hawkins, Nietzsche, Marx, Frank Zindler torna-se um verdadeiro mantra pra esse pessoal. 
Acreditam inclusive, que combater a religião trará um grande beneficio para civilização, aliás, a religião seria a raiz de todos os males. 
Sem falar que compartilhar postagens da ATEA deve ser um exercício devocional rigorosamente observado...
Caro colega, permita-me dizer uma coisa: 
Ridicularizar a religião dos outros não faz você mais inteligente do que ninguém. 
Todos somos livres para acreditar ou não... O fato de eu acreditar no Criador não me faz superior a você, e vice versa. 
O desenvolvimento de nossa civilização não depende desse seu ateísmo militante... Da mesma forma que nossa história foi maculada pelos absurdos usando o nome de Deus, ela também foi enodoada por inúmeras atrocidades promovidas pelo ateismo de Estado (lembremo-nos de Enver Hoxha na Albânia e Stálin na URSS).
Lembremo-nos que sapiência não se constrói com generalizações e zombaria.